Write loud and clear about what hurts

About
Se conseguisse descrever-me em poucas palavras não tinha criado um blog. Desde 2009 a escrever sobre pedaços aleatórios de vida e histórias mirabolantes. Para questões, sugestões ou dúvidas existenciais, ana_bmd@sapo.pt




Template by Elle @ satellit-e.bs.com
Banners: reviviscent
Others: (1 | 2)


“Home is Where the ♥ is”
Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Agosto 2012 Setembro 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Fevereiro 2013 Março 2013 Abril 2013 Maio 2013 Junho 2013 Julho 2013 Agosto 2013 Setembro 2013 Outubro 2013 Novembro 2013 Dezembro 2013 Janeiro 2014 Fevereiro 2014 Março 2014 Abril 2014 Maio 2014 Junho 2014 Julho 2014 Agosto 2014 Setembro 2014 Outubro 2014 Novembro 2014 Dezembro 2014 Janeiro 2015 Fevereiro 2015 Março 2015 Abril 2015 Maio 2015 Junho 2015 Julho 2015 Agosto 2015 Setembro 2015 Outubro 2015 Novembro 2015 Dezembro 2015 Janeiro 2016 Fevereiro 2016 Março 2016 Abril 2016 Maio 2016 Junho 2016 Julho 2016 Agosto 2016 Setembro 2016 Outubro 2016 Novembro 2016 Dezembro 2016 Janeiro 2017 Fevereiro 2017 Março 2017 Abril 2017 Maio 2017

mas está tudo parvo?
quinta-feira, 31 de maio de 2012 || 12:07 da tarde

Eu prometo que depois deste post me calo com o Cosmopolis e com o Robert Pattinson, mas antes de me calar para sempre tenho que me questionar sobre o que é que vai na cabeça das pessoas. Nestes últimos dias tenho ouvido uma chuva de críticas às raparigas que foram espera-lo à passadeira vermelha. Vamos lá esclarecer aqui duas coisas. A primeira é que a reportagem da TVI mostrou o pior das fãs que estavam lá. Ou seja, eu passei por lá, estive lá dentro e ninguém se comportou assim. Mas percebam que os jornalistas querem fazer notícia, vão entervistar as fãs mais loucas e que gritam mais porque ninguém se entusiasma a ver uma rapariga perfeitamente calma e controlada. Quanto ao segundo ponto, não, não acho normal tanta histeria, não acho que a idade sirva como desculpa para certos comportamentos e para a falta de dignidade que algumas das raparigas demonstraram, mas estamos a falar de raparigas adolescentes, que gostam de um actor que fez filmes direccionados para um público adolescente. Querem criticar uma rapariga de 12, 13, 14, 15, 16 anos por estar entusiasmada por estar perto do seu ídolo? Estamos a falar de raparigas adolescentes e não de mulheres adultas. Claro que uma adolescente fica mais fora de si e passa seis ou sete horas à espera do seu idolo, faz parte da adolescência, faz parte da vida. É nestas alturas que eu me pergunto se certas pessoas nascem logo adultas porque com comentários maliciosos dirigidos a raparigas de 13/14 anos como os que eu tenho visto nos últimos dias fica a ideia de que quem os fez nunca teve menos de vinte anos.Claro que depende da pessoa, claro que há meninas de onze anos que se comportam melhor do que muitas raparigas de vinte, claro que cada pessoa reage de forma diferente às coisas, mas eu ainda acho normal um adolescente ter comportamento de adolescente, dentro dos limites do bom senso, obviamente.  São situações como esta que me irritam. Porque quem fala do Robert Pattinson fala dos Jonas Brothers, ou da Miley Cirus, ou dos actores da Disney, ou dos Morangos com Açucar, ou do Crepúsculo, como se as pessoas não tivessem o direito de ser adolescentes e de gostar de coisas de adolescentes.

Robert Pattinson, algures pelo mundo

E agora podem dizer-me "Mas tu não podes falar deste tema porque só tens dezassete anos, até não desgostas do Pattinson e foste à estreia do Cosmopolis". Absolutamente verdade, tenho dezassete anos e a minha opinião vale aquilo que vale.

Etiquetas:


Comentários.

"quando for grande quero ser chique"
quarta-feira, 30 de maio de 2012 || 11:31 da manhã

ADOREI. Claro que estavam lá imensas raparigas histéricas aos berros por tudo e por nada, mas valeu muito a pena. Como tinha bilhete pude passar na passadeira vermelha, com os flashes dos fotógrafos e a multidão de fãs do Robert a olhar e a pensar "mas quem é esta?". O ambiente dentro do CCB estava fantástico, as pessoas eram mais adultas e as que tinham a minha idade estavam com a família ou sabiam comportar-se. O Robert passou a menos de um metro do lugar onde eu estava - sem gritos, sem barulho, toda a gente muito calma para contrastar com a agitação da Red Carpet - e deixem-me dizer-vos que ele é giro. A sério, quando o vejo na televisão penso sempre que ele tem cara de drogado mas ao vivo e a cores o rapaz tem aquela pinta inglesa que fica sempre bem e, pasmem-se, não parece que anda com um kit de seringas atrás. Ele, o realizador e o escritor só falaram durante uns trinta segundos cada um, até porque cada vez que o Robert abria a boca tinha que a voltar a fechar e esperar que os gritos das 30 raparigas histéricas que tinham conseguido bilhete para o auditório parassem de gritar. Quanto ao filme, estava à espera de algo muito rebuscado e não foi nada disso que aconteceu. É um filme bem construído, complexo, alternativo e, na minha opinião, bastante bom.   Acho que faz mesmo o estilo do Robert e, de resto, a actuação dele foi excelente, completamente irrepreensível. 


Não consegui tirar foto com ele, mas valeu a pena pelo ambiente fantástico, pelo filme e por poder andar na passadeira vermelha :)

Etiquetas:


Comentários.

Cosmopolis
segunda-feira, 28 de maio de 2012 || 7:26 da tarde

Amanhã vou ao CCB ver a apresentação do Cosmopolis e ouvir o que o realizador e o actor principal têm para dizer. Vamos lá ver se o Robert Pattinson é assim tão giro como dizem e se é verdade que é incapaz de estar perante um publico sem corar. Também estou curiosa quanto ao discurso do realizador. Amanhã venho cá contar como foi e se as fãs mais histéricas do Robert deliraram muito :)

Etiquetas:


Comentários.

Sabes que és nerd quando
sábado, 26 de maio de 2012 || 10:38 da manhã

para além de  estares a ler as Brumas de Avalon por a saga ser considerada um dos grandes marcos do mundo da fantasia, compras um livro sobre teoria da literatura em Harry Potter.  


Etiquetas:


Comentários.

ser gaja, a definição
quarta-feira, 23 de maio de 2012 || 9:01 da tarde

Não sou uma gaja de dramas e de complicações. Também não sou extremamente vaidosa, nem estou sempre a par das últimas tendências da moda. Eu uso aquilo que gosto e que acho que me fica bem, o que, regra geral, não é moda. Como (quase) todas as mulheres, gosto de me sentir bonita, de usar roupas que me favoreçam e de olhar para o espelho e ficar satisfeita com aquilo que vejo. Eu, que não sou dada a grandes complicações estilísticas e que, na dúvida, opto sempre pelos basics, passei nem mais nem menos do que duas horas a experimentar dois vestidos e duas saias e a tentar conjuga-los com camisolas, collants, sapatos, acessórios, casacos e o diabo a sete. Isto tudo para ter indumentária para uma exposição sobre Marcel Proust que a minha turma de literatura está a organizar, para um aniversário e para uma ante-estreia no CCB com o Robert Pattinson e o David Cronenberg. E isto sou eu, que estou bem longe de ler Elles e Vogues e de sonhar com o mundo da moda - mais depressa sonho com um par de calças de ganga confortáveis quando tenho que usar uma saia - nem consigo imaginar o drama e o tempo que as fashionistas passam nestes dilemas. Deus lhes dê paciência, que eu fiquei cansada só com esta sessão de veste, despe, ai-que-fica-mal, deixa-cá-ver-com-aquela-camisola, então-e-se-levar-os-sapatos-pretos, merda-que-ao-fim-ao-cabo-o-primeiro-conjunto-ficava-melhor. Ir bem vestida e ser elogiada é muito bonito e sim, vale a pena, mas a verdade é que ser gaja dá uma trabalheira descomunal!




Nina Dobrev que, como sempre, estava linda de morrer.

Etiquetas:


Comentários.

coisas que aposto que nunca vos aconteceram
segunda-feira, 21 de maio de 2012 || 9:09 da tarde

Ir a um restaurante com um rodízio de carnes e uma das pessoas que vos acompanha perguntar-vos, a meio do jantar, como é que se usa uma faca. Depois de ter dito que não usava uma faca há muitos meses, procedeu a partir a carne com o garfo e à pancada com o prato. Eu não mereço.



Etiquetas:


Comentários.

pedaços de história
domingo, 20 de maio de 2012 || 9:58 da tarde

Tenho uma amiga que diz que mais vale ter fama de má do que de mole. Demorei muito tempo a concordar com esta frase e, mais importante, a pô-la em prática. Não sou uma pessoa má. Não sou uma pessoa mole. Mas a verdade é que por mais que eu deteste e evite com todas as minhas forças ser má * - e já o fui, como todos já fomos, por circunstâncias da vida e por auto-protecção, cólera ou desespero, prefiro isso à humilhação de ter fama de mole - também já o fui, pelas mesmas circunstâncias da vida.


Rihanna, no Hawaii

*excepção para dois ou três seres humanos que de tão irritantes que são me fazem querer esbofetea-los.

Etiquetas:


Comentários.

claramente preocupante!
sexta-feira, 18 de maio de 2012 || 9:50 da tarde

Ainda faltam três semanas para as aulas terminarem e eu já me sinto nostálgica, já olho para cada uma das pessoas que compõem a minha turma com mais carinho por saber que o nosso tempo juntos está a chegar ao fim, já olho para cada canto da escola com o coração enternecido porque, associadas a cada um desses lugares estão mil memórias. Já  me sinto comovida com os discursos dos professores sobre como gostam de nós e como nos viram crescer. Não me apetece seguir em frente. Não tão cedo. Estou a transformar-me num coração mole cheio de amor. Claramente preocupante.



Etiquetas:


Comentários.

a minha vida é um awkward moment gigante
quarta-feira, 16 de maio de 2012 || 7:03 da tarde

Estou a aqui a pensar se vos conto a vergonha que foi quando, na última aula de E.F eu me desequilibrei a saltar no mini-trampolim e cai de joelhos no colchão...de frente para o professor, numa posição extremamente comprometedora. Será que as coisas poderiam ter sido ainda mais constrangedoras?

Etiquetas:


Comentários.

constatações do dia
terça-feira, 15 de maio de 2012 || 7:54 da tarde

- Há dias em que mais valia ter ficado na cama. Mesmo que fosse porque estava com 39 graus de febre teria sido mais agradável do que sair à rua.
- Há coisas que nunca, mas mesmo nunca, vamos conseguir fazer. Ou porque não está destinado a acontecer ou porque nós não acreditamos que esteja destinado a acontecer. No final é indiferente qual das opções é a verdadeira.
- Se eu não fosse uma pessoa tão controlada tinha taaaanto potencial para ser extremamente desagradável. Principalmente quando estou em dia não.
- Nunca vou deixar de admirar certas pessoas por serem tão diferentes de mim. Não que não goste da minha forma de ser, porque gosto muito, mas porque há pessoas espantosas que fazem coisas espantosas que eu nunca conseguiria fazer. Também há pessoas nada espantosas que fazem cosias espantosas, mas esse tema dava outro post.
- Tenho muita pena que o secundário esteja a acabar mas, simultaneamente, acho que ficava oficialmente maluca se tivesse que aturar mais um ano disto.




Amanhã vai ser melhor. 

Etiquetas:


Comentários.

domingo, 13 de maio de 2012 || 2:33 da tarde

Não há nada como uma noite de Verão, a minha melhor amiga, um ice tea gelado, uma esplanada à beira rio e montes de conversa para pôr em dia. Ou um vodka preto e um bar simpático. Nestas noites consigo esquecer, durante um bocado, o stress do último período, a nostalgia por o secundário estar a acabar, o medo do futuro e o cansaço de tudo o que corre mal e celebrar tudo aquilo que corre bem. Gostava que cada um de vocês que me lê tivesse uma pessoa tão especial na vossa vida como a minha melhor amiga. Provavelmente muitos de vocês têm. 

 


Etiquetas:


Comentários.

sexta-feira, 11 de maio de 2012 || 7:15 da tarde

Eu (a queixar-me) - Ele diz que eu funciono ao contrário das outras pessoas, mas a mente dele também funciona ao contrário. O problema é que os contrários são diferentes, nunca vamos conseguir conviver decentemente.
S. - Se vocês estivessem os dois num barco a remos iam andar às voltas, de certeza absoluta.

Não há como não rir.

Etiquetas: ,


Comentários.

quem estuda psicologia nunca mais volta a ser o mesmo
quinta-feira, 10 de maio de 2012 || 10:50 da manhã

S. - Anaa, tu és uma dissonância cognitiva gigante
Eu - Não sou nada!
S. - ...
Eu - Ok, se calhar sou um bocadinho. 
S. - ...
Eu - Pronto, sou mesmo uma dissonância cognitiva andante. Contente?




(Dissonância cognitiva, explicação) Acho que sou mesmo uma dissonância cognitiva gigante e isso é das coisas mais estranhas que constatei nos últimos meses. 

Etiquetas:


Comentários.

Feira do livro II
segunda-feira, 7 de maio de 2012 || 10:01 da manhã

     



Gosto de certos tipos de literatura de fantasia, apesar de não ser grande entendida no assunto. Há muitos anos que não editavam as Brumas em Português, e agora que voltaram a editar eu não podia deixar de comprar um dos maiores clássicos deste género, cinco euros mais barato por ser a feira do livro. Quanto à Margaret George, desde que li o seu livro sobre a Helena de Troia que fiquei rendida à sua escrita. Ela consegue contar a história destas personalidades na primeira pessoa e ser convincente. Misturando uma base de realidade com pormenores inventados. Absolutamente delicioso, não tivesse eu uma paixão imensa por Egípcios. O último não me parece grande coisa, mas como comprei dois livros a editora dava-me um leque de livros para eu escolher uma oferta. Acreditem, este era a melhor opção. Tudo da Saída de Emergência, que tem estado em grande como sempre. 

Etiquetas:


Comentários.

Vantagens de não ter vida amorosa
sexta-feira, 4 de maio de 2012 || 8:39 da tarde

- Consigo ficar ainda mais entusiasmada com a vida amorosa das minhas amigas, que me contam ao pormenor os avanços e recuos das suas conquistas.
-...

Etiquetas:


Comentários.

:)
quarta-feira, 2 de maio de 2012 || 7:41 da tarde









Já há muito tempo que não fechava os olhos e me sentia tão em paz com o universo e tão bem com a minha vida. Acho que não me estou a transformar numa pessoa mais conformada, acredito mesmo que as coisas estão melhor do que há dois ou três anos atrás e isso é uma das melhores coisas que posso constatar. Mesmo com todos os inconvenientes que vão aparecendo, mesmo com o stress de ser aluna do décimo segundo ano, mesmo com as carradas de trabalho que tenho (temos todos!) é tão bom fechar os olhos e conseguir respirar fundo e sorrir porque a vida não está uma merda.

Etiquetas:


Comentários.