Write loud and clear about what hurts

About
Se conseguisse descrever-me em poucas palavras não tinha criado um blog. Desde 2009 a escrever sobre pedaços aleatórios de vida e histórias mirabolantes. Para questões, sugestões ou dúvidas existenciais, ana_bmd@sapo.pt




Template by Elle @ satellit-e.bs.com
Banners: reviviscent
Others: (1 | 2)


“Home is Where the ♥ is”
Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Agosto 2012 Setembro 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Fevereiro 2013 Março 2013 Abril 2013 Maio 2013 Junho 2013 Julho 2013 Agosto 2013 Setembro 2013 Outubro 2013 Novembro 2013 Dezembro 2013 Janeiro 2014 Fevereiro 2014 Março 2014 Abril 2014 Maio 2014 Junho 2014 Julho 2014 Agosto 2014 Setembro 2014 Outubro 2014 Novembro 2014 Dezembro 2014 Janeiro 2015 Fevereiro 2015 Março 2015 Abril 2015 Maio 2015 Junho 2015 Julho 2015 Agosto 2015 Setembro 2015 Outubro 2015 Novembro 2015 Dezembro 2015 Janeiro 2016 Fevereiro 2016 Março 2016 Abril 2016 Maio 2016 Junho 2016 Julho 2016 Agosto 2016 Setembro 2016 Outubro 2016 Novembro 2016 Dezembro 2016 Janeiro 2017 Fevereiro 2017 Março 2017 Abril 2017 Maio 2017 Junho 2017 Julho 2017 Agosto 2017 Setembro 2017 Outubro 2017

Há Jacobs por aí que nos fariam felizes
quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 || 11:55 da manhã

E mais uma vez eu venho falar da personagem "Jacob Black" da saga Luz e Escuridão de Stephenie Meyer. Não sou, de todo, uma fantática pela saga, como já disse várias vezes, mas bolas, tenho mesmo uma enorme admiração pelo Jacob. Também gosto do Taylor. Gosto tanto do Taylor como do Jacob.


Nunca acreditei que fosse possível encontrar um Edward. Em primeiro lugar, pelo facto de a personagem ser bastante prefeita, e ter umas quantas coisas impossiveis de adquirir para um comum mortal. Depois...não existem rapazes assim, é simplesmente o impossivel, a imaginação e o sonho de um namorado perfeito que falam quando pensamos que o Edward é o nosso homem de sonho, pois este é inalcansável. Pessoalmente não seria o meu tipo de rapaz, nesse ponto não me sinto identificada com a Bella (nesse e em nenhum outro, na verdade)



E quando se fala de Jacob? Aí sim a minha prespectiva é diferente. No caso desta maravilhosa personagem, que é a minha preferida de sempre, já acredito que possa haver um grande fundo de verdade. Acho possivel encontrar alguém parecido com o Jacob, tanto fisicamente, como psicológicamente. E esse sim, seria o meu tipo de rapaz. Não seria tão inalcansável como Edward, mas seria certamente demasiado inalcansável para mim. Sempre acreditei nisto, e sabia, que mais tarde ou mais cedo conheceria uma pessoa parecida com o Jacob, com todas as suas qualidades e defeitos, com toda aquela pinta que o caracteriza.

Encontrei-o. Não estou apaixonada, nem o desejo, simplesmente porque não. Não gosto dele, e ainda bem, porque sei, à partida, que ele seria inalcansável. Não é o B. que me impede, não é o facto de não o conhecer, porque conheço, somos amigos distantes, ideal para uma relação, nem o facto de ele ter namorada que me fazem não gostar dele. Não, sou apenas eu, a observar um projecto de Jacob, sabendo á partida que é inalcansável e que a resposta a todas as perguntas seriam não, se eu me desse ao trabalho de as colocar a mim mesma .

É bom saber que existem pessoas assim pelo mundo fora. É uma esperança de bem estar dificil de alcansar. É, como a Bella disse, a dor de não os ter que nos lembra que são reais. Sempre soube que um Jacob iria aparecer, e que não seria suficientemente boa para o aproximar de mim. Sempre soube que não é preciso amar alguém de paixão para o querermos por perto. Porque encontrei um sol, distante, que não pertence à minha galáxia, mas ainda assim, existe.

Etiquetas:


Comentários.

Valentin's day
domingo, 21 de fevereiro de 2010 || 8:22 da tarde

Boa noite Bloggers.

Depois de ter andando dois meses em contagem decrescente, de ter sonhado com o filme vezes e vezes sem conta finalmente fui vê-lo. Posso dizer que não estava nada à espera que o filme fosse como foi, no entanto não fiquei nada desiludida. Tenho alguma pena que a Taylor Swift, o Patrick ee o Taylor Lautner não tivessem aparecido mais. Acho que apesar de ter sido completamente diferente do que eu estava à espera.



Básicamente, o filme fala de uma série de casais e das suas histórias de amor e acompanha-os desde o inicio do dia dos namorados até ao fim da noite. O elenco é excelente, recomenda-se. Umas mais principais do que outras as histórias são bastante originais, e diversificadas, no entanto podemos encontrar alguns estereótipos, como o casal de idosos que são felizes juntos desde sempre, sabendo que o seu amor vai durar para sempre, o típico homem com uma boa profissão que anda com duas mulheres e engana as duas, o casal de melhores amigos que andam com pessoas diferentes e que no final acabam juntos, um casalinho de crianças da primária, o casal gay, claro, o casal de alunos do liceu que só estão bem a comer-se e que se amam incondicionalmente, o casal de liceu que tenta tudo para planear a sua primeira vez, etc. ~

As partes altas da história? O elenco. Deve ter sido dos melhores elencos que eu já vi. Fui lá para ver o Patrick Dempsey, que faz de Derek Shepherd a.k.a mcdreamy na Anatomia de Grey. Ele esteve fantástico. É dos melhores actores na meia idade e não desiludiu nada. Só gostava que não estivesse a fazer de médico outra vez e num dilema entre duas mulheres, no entanto delirei em cada segundo que ele aparecia no ecrã gigante do cinema. O Erick Dane, que faz de Mark Sloan, também na Anatomia de Grey. Esteve fantástico, era um desportista que se assumiu gay e tinha um caso todo fofo com outro homem qualquer (conseguiram por dois dos homens mais bonitos da história juntos, boa), a Taylor Swift, que sinceramente foi uma péssima actriz, e o Taylor Lautner que é sempre perfeito e me faz querer namorar com ele cada vez que o vejo. Além destes quatro o elenco conta também com Jessica Alba, Jessica Biel, Bradley Cooper, Jamie Foxx, Ashton Kutcher e Julia Roberts, por exemplo. Outra das partes altas foi a primeira cena do Erick Dane, o homem começa em tronco nu, a correr pela praia. Qualquer pessoa morre ao ver uma cena destas. A forma como todos os casais acabam entrelaçados no fim também foi muito positiva

Balanço geral? Foi fantástico. É um filme que aconselho muito. Claro que têm que gostar de Romances, mas não é a típica comédia romântica que estamos habituados a ver. Vale cada centimo, e no final saimos da sala de cinema a perguntar porque é que o filme não durou mais.






P.s - quando ia a entrar para a sala de cinema vejo um grupo de amigos a passar para irem ver " homens que matam cabras só com um olhar" e oiço um deles dizer muito alto " Foda-se, paguei para vir ver cabras". Tinha que contar isto xD

Etiquetas:


Comentários.

A princesa e o sapo
quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 || 9:38 da tarde

Olá bloggers.
(Este post contém spoiler sobre o filme " a princesa e o sapo")

Fui na segunda ver este filme e até gostei. Não estava a contar ir vê-lo, uma vez que reservo o cinema para filmes que eu queira mesmo ver, mas calhou ter tido uma oportunidade e tudo o que seja filmes da Disney é comigo. Gostei da história, estava á espera de uma coisa com mais conteudo mas é um filme da Disney, não posso esperar muito mais. É a história de uma rapariga de uma familia pobre que é muito amiga da rapariga mais rica da cidade. Tiana trabalha dia e noite para conseguir abrir o restaurante com que o seu pai sempre sonhou, e não acredita no amor, ao contrário de Charlotte que vive para as coisas futeis e tem um pai rico. Um dia um principe vai à cidade e é tranformado num sapo e consegue convencer Tiana a beija-lo prometendo-lhe dinheiro para abrir o restaurante. No entanto como Tiana não é uma princesa acaba tranformada num sapo e vai parar aos pantanos com o principe onde conhecem um crocodiolo e um pirilampo que os ajudam a encontrar uma senhora que faz feitiçaria e vive no meio do pantâno para os voltar a transformar em humanos. E a partir daí desenvolve-se uma enorme aventura que acaba com Tiana casada com o principe e rica, com dinheiro para o seu restaurante.

Gostei do filme. Foi bom para descontrair. Os momentos altos, na minha opinião, foram todo o trabalho da Tiana no restaurante, achei mesmo bonito, a morte do pirilampo, emocionei-me, e o casamento da Tiana com o Navid (enquanto humanos, já) e a visão do restaurante deles já com o pseudo-crocodillo a tocar jazz lá.


Etiquetas:


Comentários.

Crónicas de uma pequena ilha
terça-feira, 16 de fevereiro de 2010 || 12:52 da tarde

Olá a todos.
Voltou o tempo para ler, o tempo para ver filmes, e o tempo para sair, sei que vai durar pouco tempo, como tal é melhor aproveitar para fazer o máximo de coisas possíveis. A primeira coisa que fiz nestes dias mais parados foi acabar de ler "as crónicas de uma pequena ilha" um livro de Bill Bryson, um famoso escritor de viagens.




Bill Bryson nasceu na América e tem vários livros sobre viagens. Viveu durante muitos anos no Reino Unido e ficou a amar a cultura do pequeno país (pequeno comparado com o país dele, claro, porque comparado com Portugal é muito grande!) e, quando um dia a familia dele decide regressar á América o escritor faz uma última viagem em que percorre todo o Reino Unido para ter a oportunidade de ver tudo antes de partir. Este livro é a descrição da viagem dele. Não vou mentir, por vezes torna-se um tanto aborrecido pois o senhor é dificil de contentar e está sempre a dizer mal de tudo, mas é excelente para se aprender um pouco mais sobre inglaterra e a sua cultura. O livro tem 350 páginas, que começam com uma explicação do porquê da viagem, se desenvolvem falando sobre todos os sitios por onde ele passou e acabam com ele a partir para a América. Gostei bastante do livro, é sem dúvida uma fonte de cultura e Bill Bryson é, sem dúvida um excelente escritor de viagens, no entanto demorei três meses a lê-lo, porque ora me aborrecia, ora tinha testes, ora tinha trabalhos efoi uma trabalheira para acabar de o ler, no entanto, no fim não podia ter ficado mais feliz por o ter lido até ao fim.

Aconselho o livro, é preciso é ter alguma paciência, mas é um livro bastante acessível, linguagem e gramatica simples. Se ficarem interessados também podem ler o livro dele sobre a América, que penso que é o mais conhecido que ele tem á venda.



Etiquetas:


Comentários.

O dia "vamo-nos comer em público porque as pessoas dão um desconto dada a data"
sábado, 13 de fevereiro de 2010 || 11:53 da tarde

Olá bloggers. Em primeiro lugar as minhas desculpas por uma ausência de seis dias. Tenho andando ocupada e sem grandes coisas para dizer, e como não vou acabar de escrever o post a tempo esta mensagem já será postada no domingo, o famoso dia de S.Valentim.



Como sempre tinha que vir falar da data importante. Não sei porquê, devo ter uma aversão aos feriados porque acabo por não celebrar decentemente nenhum. Quer dizer, não celebro este porque celebrar o dia dos namorados estando sozinho é deveras triste, por isso vou para casa do meu melhor amigo que é a coisa mais parecida que eu conheço. Enquanto os outros "casais" fazem sexo ou dizem "amo-te pudim" nós vamos jogar buzz e fazer coisas de rapaz, como subir ás arvores ou ter conversas a roçar o porco. Acho que é um dia bonito, não porque as pessoas mostram o seu amor umas ás outras, porque isso já vemos todos os dias - detesto ver pessoas a comerem-se literalmente em público - mas porque é um dia em que todos os casais tentam estar bem, em que os solteiros pensam como seria bom terem companhia - ou não - um dia em que se dá realmente valor á cara metade e se arranja tempo. Acho deveras bonito ver um casal descontraido a celebrar o seu amor. Do que eu não gosto é de ir ao cinema no dia dos namorados - uma vez fui e acreditem, morri - e se ver casais quase a terem relações sexuais no meio do cinema. Não gosto de estar no centro comercial e ver casalinhos aos beijos por todo o lado. Isto porque me deprime um pouco, já que não tenho namorado, torna-se desconfortável para quem vai a passar e porque acho sinceramente que hoje em dia os adolescentes vivem mais um amor fisico que um amor espiritual. Não me vou por para aqui a dizer "guardem-se para o casamento, meninas" ou " nada de beijinhos na rua" porque sou totalmente contra tais ideologias...sou até bastante aberta, mas acho um bocado rude duas pessoas estarem constantemente aos beijos em público e aos apalpanços...há maneiras discretas e elegantes de fazer isso, e é normalissimo querer fazê-lo. Mas acho sinceramente que hoje em dia os poucos adolescentes que acreditam em relações sérias e namoram centram-se imenso na parte fisica da coisa. Não que não seja importante, como dizia a minha ex-professora de matemática " sexo e marmelada são bons e fazem bem" mas esquece-se um bocado o companheirismo e as conversas interessantes. Há sempre aqueles casais que se chamam "docinho" ou "torradinha" que dizem "tenho saudades tuas." ou "amo-te muito" ou ainda " vê lá se não me andas a trair" e depois a coisa não passa daí...I mean --'



Outra coisa que eu não gosto é daqueles namorados que andam sempre uns em cima dos outros. A rapariga não pode ir á casa de banho sem mandar mensagem ao rapaz e o rapaz não pode ter mails de raparigas. Eu estou apaixonada, e apesar de o rapaz não me ligar nenhuma eu tenho a perfeita noção de que se ligasse e me fizesse a rapariga mais feliz do mundo eu não ia andar sempre a mandar noticias. Acho que nem á minha mãe faço isso. Não sou fã de relações 24 sob 24 horas. Acho super normal gostar de alguém e falar e estar regularmente com essa pessoa. Acho normal fazê-lo uma vez por dia, pelo menos, mas quer dizer, anda sempre a telefonar ou andar colado o tempo todo faz com que a relação se torne um "bem" adquirido e depois lá vêm as discussões e a falta de confiança e o fartarem-se um do outro e acaba tudo muito mal.



Não sei o que é que me deu agora para andar a falar de tudo o que não gosto nas relações, mas a verdade é que há coisas muito más. E outra delas é as curtes. Curtir com alguém que não seja próximo a nós nem tenha como influenciar a nossa vida depois da curte é saudável. Apesar de eu não ser uma rapariga de curtes acho que quando há atracção e a pessoa não é muito próxima a nós e ao nosso grupo de amigo só faz bem. Satisfaz-nos o desejo, sentimo-nos amados e depois de nos libertarmos a coisa acabar e não temos responsabilidades. Tudo certo. Adoro curtes em viagens por exemplo, porque sabemos que não é para sempre, mas enquanto dura, durante os poucos dias que dura é intenso e real. Agora andar a curtir porque sim é que não. Ainda para mais se a nossa curte andar na nossa escola, for nosso vizinho ou pertencer a um dos nossos grupos de amigos. Que mau ambiente.



E depois de dizer mal de todas as relações possiveis termino dizendo que queria uma relação. Para tentar construir a minha relação. Porque é bom, porque se gerirmos bem a nossa relação podemos ser muito felizes, porque quero um companheiro incondicional que não seja a minha melhor amiga, o meu melhor amigo ou um cão. E sim, porque amar é bom.

Feliz dia dos namorados bloggers, desejo que se comam muito em público ou não. :D



Etiquetas:


Comentários.

25 anos depois
segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010 || 10:17 da tarde


Em 25 anos de existência muita coisa mudou, mas as bases continuam lá. Já o conheço há cinco anos e meio e nunca vi uma mudança de carácter. As caracteristicas que melhor o definem continuam lá e ele é o mesmo orgulho de sempre. Ao vê-lo completar 25 anos não posso deixar de ficar orgulhosa, com tudo o que ele conquistou, com o trabalho, a determinação e o bom coração. Com ele sei que este sentimento nunca vai mudar. Sei que ele vai ser sempre o mesmo, sempre um dos meus maiores motivos de orgulho. Quase tenho orgulho em ser Portuguesa apenas por poder partilhar a nacionalidade com ele. Sempre foi o meu puto, sempre será o meu jogador preferido, sempre será a pessoa com um dos melhores carácteres que conheço.
Cristiano Ronaldo, 25 anos, 5 de feveriro de 1985

Etiquetas:


Comentários.

quiz
domingo, 7 de fevereiro de 2010 || 12:28 da tarde

O post de hoje é um quizz que me foi passado pela cats e a Kat. (as cátias gostam de quizzes xD)
Como não tenho grandes coisas a dizer porque ando a ler um livro há três meses e agora bloqueei a 35 páginas do fim e tenho estudado tanto que não tenho muito para contar aproveito, mas aviso que brevemente vão levar com um texto sobre o cristiano Ronaldo que fez 25 anos dia 5 de fevereiro - fui sair fora.

Regras:
1. Primeira regra: Posta estas regras!!!
2. Cada pessoa seleccionada deve postar 10 coisas sobre si no seu blog.
3. NO fim, deves de escolher e designar 5 pessoas para fazerem o quizz.
4. Tens de ir aos seus blogs e deixar uma mensagem de que foram escolhidos.
5. Nada de me escolher de volta.

Dez coisas sobre ti.
1. Nas férias e fins de semana chego a passar o dia todo de pijama porque acho-o muito mais confortável do que a roupa normal.
2. Quero desesperadamente ir sair á noite mas como ainda não tenho oficialmente 16 anos não vou porque morro de medo de ser barrada ou de não ir suficientemente produzida
3. Tenho uma panca gigante pelo vasco da gama, quando não tenho nada para fazer acabo invariavelmente lá com alguém, e chego a fazer isto três vezes ou mais por semana, e nunca me aborreço
4. O meu gelado preferido é o mcflurry de M&M e a seguir vem "o meu swirl"
5. Pretendo tirar o curso de letras e ser profdessora de portugues, apesar de saber que não é a melhor opção de vida que poderia escolher é o que eu mais quero
6. Adoro escrever, mas nem sempre acredito que aquilo que escrevo tem valor e tenho grandes problemas a escrever fics ou livros porque ou bloqueio ou odeio
7. Adoro viajar, e o meu destino de sonho é o Cairo, no Egipto, mas também me sentiria muito feliz em Londres ou Paris. E fora isso tenho milhões de viagens que quero fazer
8. O meu primeiro beijo ainda está para vir, não porque não me sinta preparada, mas porque ainda não surgiu a oportunidade.
9. O meu pior defeito é uma das minhas qualidades - a teimosia.
10.Quando estou de férias sou verdadeiramente feliz e morro por estar com o meu grupo verdadeiro de amigos, com quem sou eu mesma, diferente de tudo o que os outros estão habituados a ver de mim.

Dez coisas que gostavas de dizer a dez pessoas diferentes agora mesmo.
1. Quero que voltes
2. Vamos sair?
3. Deixa-me ser tua namorada.
4. Deixa de ser maricas!
5. És odiável e quero que te afastes de mim
6. Gostava de ser mais como tu, gostava de ser melhor
7. Queres vir comigo a tokyo?
8. Vamos trabalhar para uma empresa puto?
9. Vamos á almedina, compramos um livro e vamos para o jardim ler
10. Queria que não nos tivessemos chateado, mas agora é impossivel...

Oito maneiras de “ganhar” o meu coração
1. Não me tratar como uma lady autentica
2. Não estar sempre em cima de mim, preciso de espaço
3. Nada de ciumes
4. Boa disposição
5. Abraços e beijos carinhosos, não daqueles forçados que são dados "só porque és minha namorada/amiga"
6. Respeito e flexibilidade
7. Não ser sempre carinhoso, ás vezes é preciso adrenalina
8. Personalidade.

Sete coisas que te percorre o pensamento frequentemente.
1. Literatura
2. As coisas que escrevo ou queria escrever
3. Os meus amigos
4. As preocupãções com a escola
5. as 1001 saidas que quero fazer
6. O b.
7. as minhs acções

Cinco pessoas que significam muito para mim.
1. a minha melhor amiga
2. o meu melhor amigo
3. o B.
4.a Iara.
5. Gaby raul e joana - é batota mas simbolizam o grupo dos "amigos próximos"

Não vou escolher ninguém em particular, quem quiser e não tiver feito que faça. Sou uma quebra correntes mas ninguém se importa

Etiquetas:


Comentários.