Write loud and clear about what hurts

About
Se conseguisse descrever-me em poucas palavras não tinha criado um blog. Desde 2009 a escrever sobre pedaços aleatórios de vida e histórias mirabolantes. Para questões, sugestões ou dúvidas existenciais, ana_bmd@sapo.pt




Template by Elle @ satellit-e.bs.com
Banners: reviviscent
Others: (1 | 2)


“Home is Where the ♥ is”
Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Agosto 2012 Setembro 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Fevereiro 2013 Março 2013 Abril 2013 Maio 2013 Junho 2013 Julho 2013 Agosto 2013 Setembro 2013 Outubro 2013 Novembro 2013 Dezembro 2013 Janeiro 2014 Fevereiro 2014 Março 2014 Abril 2014 Maio 2014 Junho 2014 Julho 2014 Agosto 2014 Setembro 2014 Outubro 2014 Novembro 2014 Dezembro 2014 Janeiro 2015 Fevereiro 2015 Março 2015 Abril 2015 Maio 2015 Junho 2015 Julho 2015 Agosto 2015 Setembro 2015 Outubro 2015 Novembro 2015 Dezembro 2015 Janeiro 2016 Fevereiro 2016 Março 2016 Abril 2016 Maio 2016 Junho 2016 Julho 2016 Agosto 2016 Setembro 2016 Outubro 2016 Novembro 2016 Dezembro 2016 Janeiro 2017 Fevereiro 2017 Março 2017 Abril 2017 Maio 2017 Junho 2017 Julho 2017 Agosto 2017 Setembro 2017

Primeiro livro em Ingles
domingo, 31 de janeiro de 2010 || 5:00 da tarde

Olá readers.

Hoje venho falar-vos do "the red pony" de John Steinbeck.
Foi o primeiro livro que li em ingles e a apresentação foi na sexta. 10 minutos a falar em ingles e não morri, quem diria. É um livro extremamente desinteressante que fala da vida de um rapaz num rancho californiano em que morrem pelo menos dois cavalos e o resto é palha, mas fiquei contente que nem uma pita porque foi o primeiro livro que li em ingles.
Acho que para quem tiver um bom vocabulário ler em ingles torna-se fácil - não é bem o meu caso, mas passemos á frente - e é diferente de ler em Português. Acho que ler em ingles é até mais facil - a compreensão e escrita das coisas, quero dizer - do que em Português, mas sendo eu uma amante incondicional do português continu-o a preferi-lo ao Ingles, claro.
Aconselho a experiência a toda a gente - apesar de mais de metade dos meus leitores já ter lido em ingles algumas vezes - além de desenvolver imenso o vocabulário e de ser uma nova experiência dá uma nova dimensão á leitura. Se eu consegui e ainda fiz uma apresentação toda a gente conseguirá xD

Etiquetas:


Comentários.

Literaturas
quinta-feira, 28 de janeiro de 2010 || 11:24 da manhã

Olá bloggers.


Sempre imaginei que o paraíso fosse uma especie de livraria
Luis Gorge Borges

Hoje venho falar de livros. Agora que a minha apresentação de ingles vai passar - sim, é já amanha - e eu vou poder voltar a olhar para um livro sem me lembrar na tortura que foi ler em ingles e apresentar um livro em ingles - vá, eu até gostei de ler - posso voltar ás minhas listas gigantes de livros para ler, e quero recomendações. Ando a tentar virar-me para uma vertente menos comercial da literatura e até investir um pouco em autores Portugueses. Tenho também o contrato de leitura e estou a pensar ler "orgulho e preconceito" de Jane Austen. Quem já tiver lido diga alguma coisa, por favor. Se acha complicado, se a história base é aborrecida ou coisas parecidas. Com isto, como sugestão da Cê decidi ler " O mundo de Sofia" num futuro próximo.
Não penso ler Saramago, António Lobo Antunes ou Fernando pessoa num futuro mais próximo, acho que há escritores que requerem mais bases do que as que eu tenho por agora.


Por isso podem deixar as vossas sugestões de livros Portugueses ou não ou de autores. Nora Roberts apesar de ser comercial também já está na minha lista, uma vez que acho uma enorme falta nunca ter lido nada dela. Aceitos sugestões, conselhos, listas, o que quiserem. Vamos falar de livros!

P.s - se me querem ver entusiasmada falem-me de livros.
P.S2 - o senhor chama-se mesmo "gorge" não fui eu que me enganei a escrever.

Etiquetas:


Comentários.

Way To Hapiness
domingo, 24 de janeiro de 2010 || 12:52 da manhã

Hoje vim fazer publicidade a mais um forum de RPG onde sou membro. Não tinha nada para dizer e convem ir fazendo posts, para voces não pensarem que eu morri xD

Para quem gosta de RPG (jogo onde voces criam uma personagem e escrevem textos com ela descrevendo episódios da sua vida - PARA MAIS INFORMAÇÕES CONSULTAR O POST "INCANTATEM") este forum é excelente. Com um tema que permite mais inscrições o WTH é uma das grandes apostas portuguesas no mundo dos RPG. A história gira em torno de uma universidade de artes. Lá os alunos podem estudar canto, dança, representação, bateria ou guitarra. Qualquer pessoa que perceba relativamente de escrita pode participar. É preciso algum tempo livre, mas quem se quiser registar está á vontade, e eu dou toda a ajuda de que precisarem. Tenho uma personagem, a Jasmine Maynard, que está aberta a relações.
Quem quiser entrar neste mundo, sinta-se livre e incentivado para o fazer

http://z6.invisionfree.com/waytohappiness
http://z6.invisionfree.com/waytohappiness
http://z6.invisionfree.com/waytohappiness

Etiquetas:


Comentários.

Talentos
terça-feira, 19 de janeiro de 2010 || 8:45 da tarde

Existem pessoas põem em causa o nosso valor. Existem almas que se sentem sozinhas e perdidas no mundo, de modo que tentam afastar os outros do seu caminho. Existem pessoas que nos menosprezam, que duvidam das nossas capacidades e que fazem criticas. Existem pessoas e pessoas. Pessoas boas no que fazem, que nos fazem duvidar de nós mesmos, pessoas invejosas que semeiam injustiça e tristeza e acabam por se ver acolhidos pelos outros, pessoas sem talento, que tentam sentir-se ao nível dos demais, e, para mim a pior das categorias, pessoas que querem ser os melhores sozinhos. Sentir cada pingo de glória, humilhar quem pensam ser inferior, e encostar-se ao seu talento como se de um amigo se tratasse. Estas são as piores pessoas. Conceituadas, credíveis, lógicas, que quase nos fazem acreditar no que dizem. Pessoas que não querem que nós sejamos bons, pessoas que se banham num talento que possuem, um talento real, que no entanto não lhes dá quaisquer direitos. Existem, como esta, mais 1001 desculpas , mais 1001 causas para o que estou a sentir hoje, mas não quero pensar nelas. Apenas quero pensar no quanto sou boa a escrever, no quanto a língua portuguesa está entranhada em mim, e em todos os momentos que vou passar ao ter uma licenciatura em letras nas mãos. Porque eu não admito que ponham em causa o meu valor. Porque hoje sinto-me demasiado segura do que sou para deixar que alguém alheio a mim ponha em causa o meu valor. Porque hoje, sei que tenho muitos pontos fracos, mas possuo um ponto forte para suportar cada um dos meus pontos fracos. Porque o talento sempre existiu e não deixarei que esmoreça em mim.

Etiquetas:


Comentários.

Apatia
sábado, 16 de janeiro de 2010 || 6:40 da tarde

Será assim tão errado querer esquecer que o mundo existe? É errado estar cheio das confusões do mundo e procurar a distância? Não sei até que ponto é bom, saudável e normal permanecer num estado de semi-apatia, em que nos deixamos levar pelas coisas. Não sei até que ponto devemos tentar ser o mais indiferentes possível, apenas sei o quanto isso ajuda, o quanto isso alivia a dor, o quanto isso ajuda a lidar com o stress. Esquecer que o mundo existia durante uns segundos seria fantástico, como ninguém é capaz de o fazer resta-nos a apatia. Fechar os olhos e acenar afirmativamente, enquanto interiormente se explora as memórias que guardámos ao longo dos anos e esperamos que tudo passe. Hoje estou assim, apática, aborrecida, pensativa. Queria enfiar-me no meu mundinho mais ou menos perfeito, onde sou só eu e eu. Onde podemos ser nós, onde não existem coisas más, ou se existem cabe-nos a nós e apenas a nós resolve-las. Como seria bom que se vendesse apatia aos pacotes, para se tomar um pouco quando fosse precisa. É um sentimento relativamente inexplorado, mas, formulando uma teoria, acho que pode não ser, necessariamente, um sentimento negativo. Quantas vezes desejaram simplesmente não contactar com o mundo que vos rodeia e ficarem apenas perdidos nos vossos pensamentos? Hoje, estou assim.

Etiquetas:


Comentários.

Pessoas cliché
quarta-feira, 13 de janeiro de 2010 || 5:22 da tarde

Olá.
Espero que esteja tudo bem e que a vossa semana esteja a correr melhor que a minha.
Passando ao tema do post, sabem quando detestam alguém mas essa pessoa até gosta de voces? Sabem como é ter alguém que não gostam a abraça-vos constantemente e a dizer que voces são fantásticas? Aliem isso a um sotaque brasileiro e vêm o que eu passo. O que é certo é que uma dessas pessoas - totalmente irritantes e desnecessários na vossa vida -me disse uma das coisas mais bonitas dos últimos tempos. Foi muito cliché, e eu detesto clichés, mas, sinceramente a frase que o moço me disse foi o suficiente para me calar.



Me desculpe, eu sei que não gosta, mas eu vou continuar a chamar voce de aninhas porque você é demasiado especial para eu a tratar só por ana. Anas existem muitas, mas aninhas só voce.

Este foi o post mais triste que eu já fiz. Sexta feira cá estou eu de novo

Etiquetas:


Comentários.

Anatomia de Grey
domingo, 10 de janeiro de 2010 || 4:00 da tarde

O mais recente vicio. Esta minha paixão começou duas semanas antes das férias de Natal, quando fiquei até as duas da manha a ver grey's anatomy sem perceber nada da história, das personagens e do que estava a acontecer. Durante os primeiros 5 episódios não percebia nada, a serie parecia imenso uma novela. Depois, com o tempo - e com a ajuda do Patrick Dempsy que é a minha nova "crush" - comecei a gostar mais e a perceber a história, e ó meu deus, o enredo é brilhante.

Não sou muito de ver séries hospitalares. Além do House não via mais nenhuma. Com a anatomia de Grey comecei a ver os médicos de outra maneira, a ver até a vida de outra maneira. Gosto especialmente das introduções e conclusões filosóficas que a Meredith - personagem principal - faz. Acho que dá muito á serie, e as reflexões são muito acertadas e muito dentro de contexto

A história começa quando alguns médicos - Meredith, Alex, Izzie, Cristina, O' Malley - saem da faculdade e vão começar a ser internos no Seattle Grace. A vida de interno não é facil, é composta por turnos de 30 e 48 horas e muita competição. A Bailey - assistente que tem como função orientar/mandar nos internos começa a dar-lhes trabalho. A meredith - personagem principal - dorme com o Derek Shepherd - homem mais perfeito do mundo que só por acaso é CHEFE da neurocirurgia no hospital. Durante uma série de temporadas podemos acompanhar o desenvolvimento da vida destas personagens - e aviso que vão todas para a cama umas com as outras -, os casais que se formam, que se separam, entram novas personagens que vêm revolucionar a vida do Seattle Grace e na sexta temporada um dos médicos morre e o outro tem cancro. A história apesar de ser um pouco "novelesca" tem sempre acção, sempre coisas a acontecerem e é nuito dificil cansar as pessoas. É sem dúvida uma série que eu recomendo


(elenco da terceira temporada - faltam pessoas)

E passo a apresentar, para quem pretender ver a serie. Da esquerda para a direita

Mark Sloan - é o melho amigo do Derek. É chamado Mcstemy (ou será stimy?). É básicamente podre de bom, vai para cama com as mulheres que quiser e ele e o Derek dixaram de se falar quando ele foi para a cama com a Addison, na altura mulher o Derek
Addison Shepherd - é a ex-mulher do derek. Dedica-se a gravidezes uteros crianças. Não fica muito tempo porque entretanto Derek decide assinar, definitivamete os papeis do divorcio e ficar com a Meredith e a Addison vai-se embora.
George O'Malley - nem eu sei a historia toda deste moço. Foi para a cama com a Meredith, com a Izzie com a Torres e com uma serie de gente. É o rapaz sensvel e meio gay que soma e segue e que infelizmente, apesar de ser adorado por toda a gente morre fim da quinta temporada.
Meredith Grey - é a personagem principal. Melhor amiga da Cristina, durante algumas series colega de casa do george e da izzie. Ela e o Derek vão acabar por casar. E a mãe dela teve um caso com o chefe dela, o Richard
Bayley - é a chefe da maioria dos internos do ano da Meredith. Conhecida por ser estilo Hitler e por meter medo aos internos. É amiga do chefe eum excelente médica. Tem um filho e gosta de pediatria.
Cristina Yang - é interna do ano da meredith...é a melhor amiga dela. Conhecida por ser tipo robbot, não se sensibiliza com nada e é directa, por vezes fria. Andou com o burke e foi abandonada no altar e agora, na sexta temporada anda com o Owen.
Izzie - interna do ano da meredith é companheira de casa dela e do o'malley. Gosta do Alex, está com ele há imenso tempo e apanha cancro na sexta temporadaDerek Shepherd - e agora chegamos ao meu tipo de homem perfeito. O derek é chefe de neurocirurgia, um dos 20 melhores médicos do EUA, capaz de fazer operações que mais ninguem consegue. Foi casado com a Addison, agora é com Meredith. E é um potencial candidato ao lugar do chefe.
Burk - é o que eu chamo um bad ass. Deixa a cristina no altar e é super frio e um bocado mau. Simpatiza com o O'malley e não permanece as seis temporadas.
Alex - namora com a Izzie. É o tipico mulherengo superficial que tem muito mais para dar.
Richard Weeber - é tipo o chefe. Teimoso como uma mula. Recusa-se a reformar-se.
Torres - descobre que é gay a meio da serie. Tem ascendencia espanhol. A torres foi casada com o O'Malley, e é traida. Agora, na sexta temporada anda com a Hannah e é a melhor amiga do Mark, com quem tinha sexo ocasional antes da Hannah.

Pronto, qem quiser, fox life.
Todas as quintas feiras há um episodio novo ás 21:25

Etiquetas:


Comentários.

O sindrome a Anaa é uma ****
quinta-feira, 7 de janeiro de 2010 || 10:44 da manhã

Oláá :d

Bem, hoje não tenho exactamente NADA para dizer, mas convém actualizar isto de vez em quando. Para não falar de escola vou falar de rapazes, e espero, que uma alminha que lê este blog me encontre uma expliccação para a situação que vou apresentar, porque eu não encontro.



Existem várias raparigas, vários tipos de mulher. Todas elas - a não ser que sejam lésbicas, claro - dão algum valor aos homens. Umas mais atiradiças, mais impulsivas e mais namoradeiras que têm todo um vasto historial de namorados e outras mais contidas, menos atiradiças, mais racionais que não se apaixonam facilmente. Óbviamente eu sou o segundo tipo. Não me apaixono facilmente, não ando por aí a gritar aos quatro ventos que amo o A, B ou C e uma semana depois ando a chorar e a esperar que esses "ventos" não tenham dito a ninguém porque afinal já gosto de outra pessoa, and so on. Então, se eu sou assim - apesar de me dar bem com os rapazes, modo geral - porque é que cada vez que me vêm a falar com um rapaz dizem que eu gosto dele. Não é nada que me tire o sono mas chega a ser muito aborrecido. É que até os adultos alinham na brincadeira e passam-se dias nisto, no "a ana gosta do X" "Oh Anaa, o x está ali." O que é bastante contrangedor porque além de normalmente acabar por me afastar do dito amigo do sexo masculino, o pobre do rapaz ainda fica a pensar que eu gosto dele, ou coisa parecida e depois fica uma tensão no ar e já ninguém faz nada com medo de ser mal entendido e de dar a entender que gosta do outro. Fiz-me entender? Ok, também me fizeram isto com o B, e acho que foi assim que eu comecei a gostar dele, mas agora, ao fim de 3 anos de vez em quando ainda me fazem isto.



Aborrece-me porque depois não me sinto bem ao pé do rapaz que nunca é meu namorado, já que nunca tive nenhum, e fico com fama de ****. Ainda ontem me aconteceu isto. Um rapaz que conehci na passagem de ano, em Viseu, é da minha escola, e como somos amigos, óbviamente cumprimentamo-nos quando nos vemos, mas quer dizer, eu conheço o rapaz há uma semana e meia, mal falamos,e cada vez que ele me vem cumprimentar fica uma assistencia de não sei quantas pessoas da minha turma - na sua maioria mulheres, claro - a olhar totalmente babadas - oh, sim ele é giro - e a dizer que eu gosto dele. O que é fantástico, porque depois disto tudo o meu stor de história teve a ideia de apontar para um rapaz - no fim da aula, já no corredor - e curiosamente era ele. Resultado: começou toda a gente a rir e o stor pensa que eu gosto do moço. Se alguém me encontrar uma explicação para isto contacte xD porque eu não arranjado nada que justifique estes comportamente, para além de um claro atraso mental, no qual não quero acreditar.


E depois de um post extremamente parvo, digo um "adeus" xD

Etiquetas:


Comentários.

A ilha do tesouro
segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 || 11:35 da tarde

Olás (ando a adoptar a forma de falar do Cristiano Ronaldo xD), hoje, vamos falar de livros.
Ultimamente não tenho tido tempo de ler muito, o que me faz ter ainda mais vontade de falar de livros. Acreditem, eu já tenho vontade que chegue, não preciso de mais.



Há uns tempos atrás acabei de ler "a ilha do tesouro" de R.L.Stevens. Existem ainda muitas obras que eu considero um "must", muitos clássicos que quero ler, no entanto, não tenho tempo, votade ou disponibilidade para todos, e, felizmente, a ilha do tesouro já teve a sua oportunidade. Tinha o livro aqui em casa porque faz parte da biblioteca visão, uma colecção de livros que saiu com o jornal, e aproveitei. O filme tem muito mais magia, é certo, e foi dos poucos casos em que achei que o filme está melhor aproveitado que o livro, no entanto não deixei de gostar. É daqueles livros que se nota que são antigos, com as páginas pequenas, cheias de letras miudinhas. Sente-se o "sabor" de um livro a sério. Está é cheio de linguagem de barcos e marinheiros, por isso senti-me um pouco perdida em algumas descrições.
Vou fazer a sinopse, e, lamentávelmente não tenho imagem para o livro porque não aparece nada de jeito no google.

A história fala de um rapaz, o Jim, que trabalha na estalagem dos pais, junto ao mar. Um dia chega um marinheiro rude que lhe começa a viver permanentemente na estalagem e paga a Jim para o avisar se algum dia um marinheiro com uma só perna vier á sua procura. Durante essa primeira parte morre o pai de Jim, e o tal marinheiro tem um enfarte por beber demasiado rum. Uma noite o marinhheiro tem um ataque cardiaco e morre. Nessa mesma noite a estalagem é assaltada por piratas que procuravam o marinheiro que morrer. Jim e a mãe dele conseguem escapar levando algum do dinheiro da arca. Jim encontra ainda um mapa do tesouro, que mais tarde mostra a um médico culto e com posses e a um senhor igualmente conceituado. Eles decidem partir á procura do tesouro e uns meses depois com um barco e uma tripulação parte para o mar. O tal marinheiro que o hospede da estalagem tentava evitar era Silver, o cozinheiro que prepara as refeições da tripulação. Conseguem encontrar a ilha facilmente, no entanto os marinheiros planeiam revoltar-se contra o médico o Jim o comandante do navio e o homem que os acompanhava e Jim descobre e conta aos amigos. A partir daí travam-se guerras, os homens separam-se, alguns morrem, os barcos desaparecem, encontram um homem exilado na ilha deserta e no fim, Jim, o médico, o sehor amigo deles, o comandante, Silver - que estava envolvido no golpe - e apenas mais um homem conseguem safar-se e voltar á América.

Acho que é um livro interessante. Lê-se rápido e não é muito grande.
Tem aquele cheirinho a literatura a sério que eu adoro e acho que vale a pena, para quem tiver tempo. Não acho que seja um livro prioritário mas quem tiver tempo deve ser, sem dúvida.

Etiquetas:


Comentários.

Em 2009 e em 2010
sábado, 2 de janeiro de 2010 || 12:08 da tarde

Primeiro post do ano!
Oláá leitores. Espero que esteja tudo bem com voces. Não vou falar muito da minha passagem de ano, porque...além de não a saber descrever e explicar, acho que já ouviram 1001 histórias sobre passagens de ano e pronto, não vou ser mais uma. Digo apenas que os três primeiros dias que estive lá foram chatos, o quarto (31) começou mal mas a noite foi o ponto alto e acabei por conhecer imensa gente incluindo um rapaz lindo e bastante simpático que é da minha escola (cof cof) e ontem regressei a casa, foi giro.

Agora vamos ao post em si. Aviso já que a ideia base do post foi copiada do post da NKZ, mas ela não se importa porque é uma boa rapariga. [visitem o blog dela, disponivel na minha listinha de blogs preferidos].

Em 2009 eu -
- Despedi-me dos meus colegas do nono ano e morri de saudades deles
- Entrei para o secundário e mudei completamente de rotina
- Desesperei de tanto estudar
- Fiz novos amigos e mantive os velhos
- Vi um dos meus forums preferidos fechar e entrei em mais uns quantos
- Descobri novas bandas que agora adoro.
- Fui a um concerto
- Viciei em RPG
- Comecei as sonoridades no papel e avancei no "Experience of a lifetime"
- Defini-me como pessoa ainda melhor
- Emagreci e fiquei orgulhosa de não ter voltado a recuperar esse peso
- Deixei de falar com o meu avô
- Fui á Bosnia e á Croácia
- Ganhei um portatil novo
- Voltei a estar com a minha familia do Norte
- Experimentei beber - e não gostei por aí além
- Experimentei fumar - e das 5 passas que dei não me pareceu nada tão bom que valesse a pena
- Vendi rifas para ganhar o meu próprio dinheiro e menti a dizer que era para a escola
- Aprendi coisas que não quero esquecer

Em 2010 eu quero -
- Emagrecer ainda mais
- Comprar uma saia/vestido e habituar-me a usar
- Voltar a ir á Bosnia
- Ir pelo menos a um concerto e se possivel a um festival de Verão
- Manter os meus amigos e tornar-me ainda mais independente para sair mais com eles
- Ir ver a Iara a Chaves
- Criar novas personagens de RPG
- Passar um tempo só com os amigos no Verão
- Ver se fico menos timida, mas se conto menos coisas pessoais ás pessoas
- Ter uma boa média
- Usar a agenda até ao fim e terminar o meu segundo diário (ahaha, a segunda parte não vai acontecer)
- Ler mais livros e participar em concursos literários
- Começar as minhas saidas á noite
- Arranjar um namorado ou pelo menos um grande amigo do sexo masculino
- Ter o meu cartão multibanco jovem
- Se estiver magra o suficiente voltar a ir á praia
- Conhecer pessoas que no final eu saiba que valeram a pena
- Ganhar algum dinheiro por mim mesma

Acho que, apesar de tudo, valeu a pena :D
Vou por os comentários em ordem, prometo.

Etiquetas:


Comentários.